Talentos

O Bambu

O Bambu

Às vezes, choramos copiosamente
Por tristezas causadas no dia a dia.
Em nós criamos inconscientemente
Uma áurea que brilha de covardia.

Esse manto sombrio nos envolve,
Inibe nossos dons da sabedoria.
Pega nossa coragem e a Absorve
E deixa o fracasso fazer moradia!

Mas se olharmos a sábia natureza
Poderemos dela extrair muito saber,
Basta que enxerguemos sua beleza
Sua história fará nossa áurea acender.

Para crescer, ser forte, exuberante
O bambu nos ensina com eloquência
Ele era um capim, graminha rastejante
E quis chegar no alto, com deferência.

Certo dia, olhando o céu ele desejou
Admirar do alto a floresta imperial,
Transferiu a essência do que sonhou
Ao seu corpo pelo sistema arterial.

Sua meta tornou-se combustível
Como atingir o alto sem quebrar e cair.
Pensou que era melhor ser flexível
Ter fé e firmeza para começar a subir.

Além disso, precisava de base forte,
A sustentação era muito importante.
Então, cuidou da raiz como suporte,
Tornou-a profunda, forte e gigante.

Mas o cansaço foi chegando,
Sozinho era quase impossível.
Outros foram se juntando
E juntos tornaram a meta possível.

Assim, com o bambu podemos aprender
Sobre o grande poder da singela humildade:
Raízes fortes em Deus para nos fortalecer,
União fraterna nos trará liberdade.

Reparou que o Bambu não tem galhos?
Que é cheio de nós e também é oco?
Como pode não ficar em frangalhos?
E atravessar tempestades, sem sufoco?

Pensando bem, os nós fortalecem a vida,
Encorajam na hora dos ventos bravios.
Os galhos ofuscam a visão para a subida
E o oco representa a sabedoria do vazio.

Por fim, ele ainda nos ensina, muito bondoso,
A importância da alegria, do sorrir e do brincar.
Agita suas folhas emitindo som em dia ventoso,
Que acalma e faz nossa alma se alegrar!

Ensina também que, embora passemos
Pelas adversidades, por todos os ais...
Ainda que pequeno nos comparemos
Não devemos, somos seres especiais.

Que assim como o bambu, com seus nós,
Seus galhos ocos, consegue ser majestade,
Dentro de nós existem habilidades faróis,
Carecendo da energia da força de vontade.

Compartilhe essa obra

Share Share Share Share
Inspiração

A inspiração em escrever "O Bambu" veio do meu pensar sobre a forma forma como podemos passar pelas adversidades da vida. O Bambu cresce aos poucos, tem características frágeis, mas ao crescer se torna forte e resiliente. Assim nós também devemos ser diante da vida e de tudo o que ela nos proporciona.

Sobre a obra

O Bambu é uma obra poética escrita em versos livres, com rima externa alternada.

Sobre o autor

Sou aposentada da Caixa, tenho 60 anos, e meu maior hobby sempre foi escrever. Desde pequena, sempre trazia comigo um caderno de bolso para anotar detalhes quando batia a inspiração. Após a aposentadoria, coloquei em prática meu lado escritora e participei de alguns concursos, dentre eles o Talentos Fenae, que ressignificou minha vida.

Autor(a): VERONICA DA SILVA GALVAO (Veronica Galvão)

APCEF/AL