Talentos

Carta de Heloisa

Se Deus fez que não viu
Então não foi pecado
O ato consumado
O fruto da paixão

O aço que é vil
Não amputa o desejo
Somente o teu beijo
Coagula o coração

Nem o santuário
Nem o escapulário entre os dedos
Trazem-me consolo
Converso com os mortos
Pensamentos tortos e segredos
Mas não trago dolo

Por teus postulados
Pelos mil tratados que te ocultam
Vivo o sacrifício
Por tua vergonha
Da peçonha que a mim imputam
Fiz da morte, ofício

A mim, soou mais doce
A palavra amante
A ti, não foi bastante
Não ponderou sequer

Depois, só dor me trouxe
Tudo me foi negado
O meu grande pecado
Foi querer ser mulher

Compartilhe

Inspiração

A inspiração veio da trágica e real história de Heloisa de Argenteuil e Pedro Abelardo. Heloisa pode ser considerada a primeira mulher moderna, pois em pleno século XII era escritora, filósofa e erudita. Foi uma mulher que acreditando no amor, contestou a Igreja e contrariou regras sociais de sua época.

Sobre a obra

A música é uma homenagem às mulheres que lutam pela igualdade.

Sobre o autor

Paulo Roberto Araujo, 52 anos. Retrato a vida.

Co-Autor(es)
Intérpretes
Integrantes
Autor(a): PAULO ROBERTO PEREIRA DE ARAUJO

APCEF/CE