Talentos

Dias atrás

E a vida, e a vida diga lá o que é
Ou o que ela foi
Ou o que ainda será?

Funestos dias, noites escuras
Nas quais as mais perversas amarguras,
Ainda prevalecem… e prevalecerão?

O não, qual é a força de um não?
Aqui jaz a semente de uma esperança
A desesperança de uma semente
Mal plantada, amargurada e doentia

Vida vazia, dias vazios, cabeças em colapso
Nem a mais brilhante das mentes
Poderia supor tamanho atentado

Imoderado, perverso, negligente e culpado
O não que te foi negligenciado
Agora é com louvor aplicado

Pena que é tarde, o estrago está consumado
E não existe como negar o passado
E nem resgatar a vida do ente amado

Se é pela falta de um “não” que te foi negado
É com alívio que em nome de uma nação eu falo
Pode ir embora você com o restante de seu gado.

Compartilhe essa obra

Share Share Share Share
Inspiração

O cenário atual de nosso país.

Sobre a obra

Um desabafo, uma exclamação para o dirigente da nação e todos que ainda pensam como ele.

Sobre o autor

Um artista que busca incessantemente várias formas de expressão: na literatura, música, fotos e filmes!

Autor(a): DAVID SANTOS SALOMAO (David Salomão)

APCEF/CE