Talentos

Chore

Chore, se for preciso

Chore sem dizer a ninguém
Chore a dor lhe que convêm
Chore por não ter um vintém
E pelo tempo de outrora.

Chore sobre o leite derramado
Chore o choro desconsolado
Chore os amores apartados
E nos dos tempos de agora.

Chore às famílias destruídas
Chore às vidas perdidas
Chore às pessoas queridas
e nos resta ir embora.

Chore a saudade da lembrança
Chore os tempos idos de criança
Chora o fim da esperança
E hoje já não sabe onde mora.

Chore a violência da alma
Chore a dor que acalma
Chore forte sem trauma
E pois a ti ninguém perora.

Compartilhe essa obra

Share Share Share Share Share
Inspiração

Diante da ganância capitalista, aliada com a conivência dos poderes públicos que resultou em tamanha tragédia, resolvi registrar tudo em obras para assim denunciar para que todos tomem conhecimento do que está ocorrendo com 3 bairros populosos e tradicionais de Maceió, é preciso que saibam o que fez a Braskem em nossa cidade!

Sobre a obra

A arte de escrever é o maior aliado e a melhor ferramenta

Sobre o autor

Eclético em termos de arte, pois transito na pintura, desenho, video maker, composição, literatura, stand up e outras façanhas. Tudo isso de forma espontânea e bem descolada, sem o compromisso de ser o melhor, apenas ser eu mesmo!

Autor(a): JOSE DE ARIMATEA LAFAYETTE SOUZA (Arimatea Lafayette)

APCEF/AL


Essa obra já recebeu votos de 1 pessoas

Essa obra já recebeu 5 votos (com peso)