Talentos

Mãe de segunda viagem

Segundo filho... por que é tão prático assim?
Parece que ele aprende as coisas muito mais rapidamente.
Se liberta dos cuidados especiais antes do previsto.
Aprende a comer maçã sozinho (é só dar um pedaço em sua mão!)
Já come pipoca inteira antes dos 2 aninhos...
Come a mesma comida da casa antes de completar seu primeiro ano de vida...
Exige menos proteção, arrisca mais, ousa mais...

Será? Será que é você mesmo que é tão livre assim?
Porque você não come mais a maça raspadinha, igual a mamãe fazia com seu irmão?
Você não engasga com a pipoca. Como assim? A mamãe não precisa separar somente a parte branquinha pra você?
É, meu bebê... (ou será, minha criança?) com você aprendi que bebês não se quebram, não param de respirar quando não estamos olhando e que sobrevivem sem a mamãe por perto, sem ficar com sequelas traumáticas!
Fui aperfeiçoada ao tê-lo em minha vida!!
Com teu "irmãozão" descobri o que é ser mãe e vejo que apesar de toda a insegurança, consegui!
Agora, tenho mais confiança e liberdade pra tarefa de ser a tua mamãe!
Percebo que diferente mesmo estou eu!
E que os filhos precisam de espaço e liberdade, cuidados e regras, limites e amor!
Tudo parece mais claro! Ser mãe pela segunda vez é assim..
...porque na primeira vez tudo pelo que passei foi válido, útil e precioso!
Uma descoberta, agora aprimorada em mim!

Compartilhe

Inspiração

Observando a maneira como meu segundo filho se comportava e se virava para conseguir o que queria percebi que a minha maturidade como mãe é que permitiu que ele desbravasse seu mundinho mais cedo do que meu primeiro filho, que era muito protegido e atendido tão prontamente mais vezes, porque toda atenção era somente dele.

Sobre a obra

Usei a minha reflexão sobre ser uma mãe mais madura agora e resolvi escrever uma crônica informal.

Sobre o autor

Desde criança gosto de escrever. Meu pai me incentivava bastante a fazer poesias, pois ele também amava escrever. Na escola eu me destacava nas redações. Eu amava escrever longas cartas para amigas, para minha irmã e para meu noivo.

Autor(a): DENISE PACHECO PRIMO PEREIRA (Denise Pacheco)

APCEF/MT