Talentos

INCENDEIRA

INCENDEIRA

Desata os nós
De suas asas e gorjeia
Como um poeta ferido, na gaiola
Feito uma bela condenada
Numa tela, numa teia
Semeia seu choro
Seja fria
Seja feia
E não linda
Seja meia
Não inteira
Não, ainda
Tão certeira
Flecha incendeira
E faz queimar
Mar que sereia
E faz entrar
O barco à deriva
Sem leme, sem vela
Não seja bela
Corta!
Tranque a porta
Trave a janela
Assim, quem sabe
Ele não possa entrar.

Compartilhe

Inspiração

UM SONHO

Sobre a obra

POESIA

Sobre o autor

TALENTO É SÓ UMA EQUAÇÃO.

Autor(a): LAUDISMAR DEPTULSKI (DIMAS DEPTULSKI)

APCEF/ES