Talentos

Ainda não aprendi com o Mundo todo

Ainda não aprendemos com o mundo todo
Marcos Libardi

Eu senti o inverno gelado do Gorky Park em Moscou
Mas minha alma de Perestróika anda perturbada e ainda parece uma Guerra Fria
Subi 110 andares das Torres Gêmeas e meu coração pirou
E meus pensamentos se confundem e têm “ataques terroristas” todo dia
Eu conheço a história dos Impérios da Muralha da China
Nem a maior construção das Dinastias poderá um dia me proteger
Eu percorri os caminhos sagrados de Jesus em Jerusalém
Minha cabeça tem uma “coroa de espinhos” que sempre quer me dizer

Que eu sei Eu mais que tudo
Perdido em meu mundo
Eu penso que sei
Mas não sei te dizer

Que a vida, que a vida dá voltas
Num ciclo de revoltas
Será que o mundo
Um dia vai entender

Eu acertei meu relógio pelo Big Ben de Londres
A percepção de eventos e tempos é mestre em me enganar
Eu refleti toda luz da vida em Paris na Torre Eiffel
Mas é preciso um raio na minha escuridão para uma trajetória firmar
Eu me perdi nos Safáris da África sem armas pra me defender
Na expedição da linha perdida, virei a caça da savana do mundo
Eu surfei meus pensamentos nas ondas gigantes do Hawaí
Mas não consigo planar nem comigo mesmo, mas ainda estou aqui.

Que eu sei Eu mais que tudo
Perdido em meu mundo
Eu penso que sei
Mas não sei te dizer

Que a vida, que a vida dá voltas
Num ciclo de revoltas
Será que o mundo
Um dia vai entender

Eu senti nos meus ombros o esforço dos escravos do Egito
Tenho mistérios e estruturas complexas indecifráveis como Gizé
Visualizei os leões no Coliseu de Roma atacando as pessoas
Hoje me sinto atacado e os Gladiadores não podem me salvar
Imaginei a solteirice e virgindade da Deusa Grega no Pártenon
E fico na acrópole do meu ser tentando elevar os meus sentidos
Eu pensei como os Incas na sua inteligência de vida
Hoje me sinto culpado, por estar numa terra perdida.


Que eu sei Eu mais que tudo
Perdido em meu mundo
Eu penso que sei
Mas não sei te dizer

Que a vida, que a vida dá voltas
Num ciclo de revoltas
Será que o mundo
Um dia vai entender

Compartilhe essa obra

Share Share Share Share
Inspiração

Durante as viagens que faço tento aprender com a humanidade e percebo que por mais que tenhamos passado por tantas experiências, ainda não conseguimos saber nada.

Sobre a obra

Muito difícil se dedicar à finalização da obra pois o trabalho do dia a dia nos tira o tempo para o lazer e tive que montar tudo sozinho nas madrugadas em um pequenos estúdio improvisado em casa.

Sobre o autor

Sempre gostei de compor e cantar. Minha maior missão é incentivar as pessoas a participarem dos eventos.

Co-Autor(es)
Intérpretes
Integrantes
Autor(a): MARCOS FRANCISCO LIBARDI DOS SANTOS ()

APCEF/ES