Talentos

O Toque da Emoção

O Toque da Emoção
Eu estava assistindo a um programa de TV, via YouTube, no título “Angelina Jordan: ALL Performances on America´s Got Talent Champions” e fiquei impressionado com o desempenho artístico daquela jovem cantora, que havia, com méritos, passado pelo crivo daqueles quatro avaliadores do programa musical.
Com um toque de mágica, ela deslizava suavemente as músicas pela sua boca, depois de processá-las harmoniosamente pelo filtro do seu coração, dando-lhes um novo envelope de presente para o deleite da humanidade.
Confesso, e digo isso sem a menor dúvida, que, ao ouvi-la, pensei em me despedir da terra e seguir para o outro lado da vida, levando a tiracolo aquela sonoridade que de forma inebriante invadira o meu ser e, como tal, cumprir o firme propósito de entrar na eternidade de posse desse sabor, da leveza e do alento daquela voz, como um bilhete de passagem de transbordo ao destino que espera cada um de nós. Mas, saindo desse transe, refleti melhor, e saindo pela tangente, resolvi cumprir a minha caminhada terrestre naturalmente, dando a mim mesmo novas oportunidades de vivenciar outros momentos incríveis que surgem de repente nas nossas vidas.
Tenho me deparado e catalogado tantos momentos especiais, que, às vezes, relevo a um segundo plano os ardores que de vez em quando sondam o nosso plano existencial. Mas, trago firme na minha mente que nascemos para sermos felizes e não precisamos insistir, nem tampouco mover uma folha sequer, para acontecer essa eclosão de felicidade que inunda o nosso ser e nos transporta para uma dimensão lúdica. Por si só ela vem e, soberanamente, toma conta dos nossos sentidos, sem pedir permissão alguma. Penso que até a razão se submete a ela.
Ora, foi isso que experenciei quando aquela voz diametralmente adentrou nos meus ouvidos e, trilhando uma longa jornada, se instalou no meu coração, após romper todas as barreiras defensórias possíveis, e, com a anuência dos meus olhos, que pareciam sorrir, o mesmo sorriso que sorria a minha boca, fazendo-se exibir o branco marfim do colorido dos meus dentes, em razão da satisfação que aquela cena havia produzido em mim.
Com isso, estou trazendo aos palcos da vida que a idade avançada não anula a atuação dos nossos sentidos, o que eu pensava na minha magistral juventude, que instigava o meu pensamento a agir assim. Qual nada, os nossos sentidos funcionam de forma indelével, melhora nalguns itens e se fragiliza noutros, mas a formação de opinião que eles compõem é sempre rica em detalhes, que, por vezes ficaram por um longo tempo distribuídos em uma fila lenta no nosso inconsciente, esperando a hora de sua chamada para interagir magicamente com esse mundo maravilhoso.

Compartilhe essa obra

Inspiração

Foi pura emoção! Cheguei a imaginar que a adrenalina havia desertada da minha vida, ledo engano. Ei-la aí! Debrucei-me sobre as pautas do meu caderno e registrei a fotografia daquela cena especial.

Sobre a obra

Venho compondo alguns contos e poesias, na escrivaninha do meu quarto, de forma rude mas com entusiasmo. No entanto, penso que pelo fato de atualmente dispor de tempo para ler as obras literárias que ficaram represadas no caminhar da minha vida, surgiu então uma oportunidade de mostrar minha fotografia para meus amigos economiários e adjacentes.

Sobre o autor

Estou aposentado há 12 anos, resido em um povoado e cuido de um pequeno sítio. É um privilégio poder escrever contos e poesias. O grande facilitador foi descobrir que esse manancial estava escondido dentro do meu subconsciente, e, dessa forma, venho preenchendo esse tempo maravilhoso presente na esteira da minha vida.

Autor(a): JOSE BARBOSA SANTIAGO (Barbosa)

APCEF/SE