Talentos

Ser mãe

Ser mãe

Vivos são os olhos da menina sapeca
balbuciando letras em seu amanhecer
brincando com a vida a aprender
nas mãos pueris uma boneca.

seu zelo mostra todo seu cuidado
com a brincadeira lúdica e pronta
vivendo sempre um doce faz-de-conta
ama de verdade o ser inanimado.

O tempo voa, e em seu caminho
Desinteresse a afasta do brinquedo
Vêm as mudanças, e também o medo
Nunca morrendo em si o seu carinho.

Um dia a seta do gentil cupido,
Vem alvejar o solitário peito.
Desejos deitam em velado leito,
Que junto entoam divinal gemido.

Então a vida traz o seu presente,
Que é notado em toques nauseantes.
Mudando o corpo, nada é como antes
Vingou em si a fiel semente.

Enfim é chegada a hora de nascer,
A dor avisa o que ao mundo vem.
Partindo a boneca, chega o neném
E todo aquele amor vai amadurecer.

Ser mãe é ver dentro de si a vida
Surgir, crescer e então aflorar
Ficar de pé, pra depois andar
Correr, amar, chorar na despedida.

Compartilhe

Inspiração

Tive experiência de ser pai e mãe de meus dois filhos, e ali aprendi muito. Assim mesmo, tomei posse do eu-lírico para tentar alcançar de forma até pretensiosa, este sentimento de ser realmente mãe. Creio que cheguei um pouco mais perto, pois ao término deste excerto, eu chorei.

Sobre a obra

Creio que as palavras podem nos tocar mais, se forem acompanhadas do tempero lírico, de musicalidade. Fiz estrofes em quadra, com rimas ABBA, sem me preocupar entretanto em caber dentro de um estilo clássico fechado, deixando o numero de estrofes ser ditado pela necessidade de expressão.

Sobre o autor

Um amante das artes em geral, pois é o meio onde converso com meu interior e me expresso.

Autor(a): PAULO SERGIO SOUZA AZEVEDO (Paulo Azevedo)

APCEF/MS