Talentos

RACISMO

RACISMO

“Eu não posso respirar”, dizia
O negro no chão algemado,
E os três soldados brancos
O mantiveram ali, confinado.

“Eu não posso respirar”, gemia
O negro, implorando atenção,
E os três soldados brancos
Apertavam-no contra o chão.

“Eu não posso respirar”, disse,
Pela última vez, suplicando,
E os três soldados brancos
O mantiveram ali, sufocando.

Então, a alma foi deixando
Aquele corpo inerte no chão...
Incrédulo, o mundo assistiu
À morte daquele irmão!

Uma onda de indignação
Contra o racismo se espalhou:
Paz, justiça e igualdade
Em uma só voz se clamou.

“Vidas negras importam”,
Gritavam, de punho erguido.
“Não há paz sem justiça”,
Racismo não faz sentido.

Esse movimento traduziu
A opressão diária do negro
Viver vigiado pela polícia,
Vulnerável, com medo.

A polícia mata mais negros
Que brancos; na sociedade,
A comunidade negra sofre
Com a cruel desigualdade.

Índices mostram disparidades
Que atravessam as gerações:
Mortalidade materna, infantil,
Renda, escolaridade, grilhões.

Basta, chega de perseguição!
A sociedade precisa dialogar.
A Igualdade de oportunidade,
No mundo, há que se efetivar!

Somos todos seres humanos!
No peito do negro tem coração
Que bate tão forte quanto o seu.
Chega, basta de discriminação!

Compartilhe essa obra

Share Share Share Share
Inspiração

Sou filha de pai negro e mãe branca. A família da minha mãe nos excluiu de tudo, inclusive da herança, por causa do casamento dela com um negro. Eles nunca se uniram a nós por causa da cor. O estopim dos protestos contra o racismo nos Estados Unidos por causa da morte de um negro por um branco reacendeu a minha indignação, inspiração desta poesia.

Sobre a obra

A obra se constitui de um poema escrito em versos livres de onze quadras, com combinações rímicas dos segundos versos com os quartos versos.

Sobre o autor

Sou aposentada da Caixa, tenho 60 anos, e meu maior hobby sempre foi escrever. Desde pequena, sempre trazia comigo um caderno de bolso para anotar detalhes quando batia a inspiração. Após a aposentadoria, coloquei em prática meu lado escritora e participei de alguns concursos, dentre eles o Talentos Fenae, que ressignificou minha vida.

Autor(a): VERONICA DA SILVA GALVAO (Verônica Galvão)

APCEF/AL